Por Andrea Peruzzo

Para as mães que não conseguiram engravidar

Mãe não é a que engravida?? Não, não, é muito além disso. Mãe é o ser mulher que tem a capacidade de amar além, muito além, da sua própria existência. É alguém que desenvolveu a capacidade de olhar o mundo de forma mais colorida.

Mãe é o Ser que pode rir por horas olhando riscos e rabiscos num papel, sendo a obra de arte de um filho.  É a médica de plantão que, com beijos, cura tudo. É alguém que funciona 24 horas, muitas vezes sem descanso,  e está mais bela todos os dias.

A mulher que tem a habilidade de nutrir, que prepara um alimento tentando ler a mente do filho: “Será que a Deinha vai gostar?” “Farei isso que a Deinha ama” “Não coloquei carne porque a Deinha não come”.

Mãe, mesmo sendo um humano, tem a plena condição de levantar 10 vezes na noite para cobrir os filhos e, não sei como, acha que isso é normal. E é absolutamente curioso como uma mulher do “sexo frágil” tem a capacidade de amar, de acolher, de nutrir, de saber e de tirar a dor de forma tão bela, leve e espetacular.

Mãe é algo que eu não sei explicar, nunca li uma explicação total sobre a maternidade. Você que me lê sabe, mãe de uma forma geral é o símbolo do Divino dentro de cada um. Os que nasceram, os que morreram e os que estão aqui, vivendo, convivendo e amando da maneira possível de cada um.

Então minha flor, você pode ser mãe de muitos filhos, a gestação não é o exame final. O AMOR é a única condição absoluta.

Para as mães adotivas

A Ordem do amor e a Ordem da ajuda são as formas mais belas de amor.  Mamãe adotiva querida, se você conseguir amar a mãe biológica do seu filho adotivo, essa criança estará salva.

A criança não precisará procurar nas ruas e nas drogas algo que ela tem dentro. A criança de qualquer idade, tem tudo dentro. Um mãe perfeita da concepção ao nascimento + uma mãe perfeita do nascimento até a morte = Amor, liberdade, maturidade e  pureza.

O Auto Amor!

Se uma das mães tentam matar a sua “rival” dentro do filho, essa criança já está morta. Ela morrerá assim que o primeiro sinal de guerra fluir na alma de uma das mães. SALVE o seu filho, por amor, se ele tem 2, 3, 4, 5 mães ou mais, ele precisa se fortalecer no caminho do meio; Caso ele escolha uma mãe, 4 ou mais mães estarão sem amor. O certo para essa criança é o absoluto auto amor.

Para as mães que choram e sofrem a perda de um filho.

Independentemente da idade gestacional, e também, independentemente da idade da certidão de nascimento, o seu filho sempre será seu filho. Eu acolho várias mães que dizem terem perdido seus filhos.

 

Eu entendo que seja quase impossível entender, mas você não perdeu o seu filho. Se você procurar no mais profundo e puro da sua alma vai encontrá-lo! Ele está dentro de você.

Amada mamãe que me lê, você tem o poder de se comunicar com o seu filho querido, você tem o poder de liberar o seu filho querido para as decisões que ele tomou e para as fatalidades que a vida proporcionou ao  vínculo mãe – filho, me leia bem: A fatalidade que a vida proporcionou ao vínculo não foi ao amor. Se você sente saudades, abrace ele no seu coração. Acolha e libere… Acolha e libere….

Para as mães que engravidaram na relação sexual violenta

Eu sinto muito, realmente eu sinto muito por sua violência. E sinto mais ainda por lhe dizer que pela visão sistêmica, e eu concordo com ela, o seu filho foi concebido da maneira que era possível para ele.

No consultório já foram centenas de mulheres que atendi e, em absolutamente todos os casos, o filho era um ser de completo amor, assim como as gestações planejadas, como as gestações onde as mães foram abandonas, e também como as mães que planejaram e sonharam com o momento da concepção.

Todas as mães são mães. Todas as crianças são crianças. E toda nossa existência é boa.

A única forma de você sobreviver é se amando e se perdoando. A única forma de você VIVER é dando espaço para sua dor, lá no passado, deixando o espaço do AGORA para o amor livre e incondicional para esse filho. A violência não destruiu a sua vida, você está me lendo agora. O abandono não foi o fim, o fato talvez não signifique mais nada.

Respire mais, libere mais e sinta mais, existe uma maneira mais leve para reagirmos as agressões da vida, e você tem opções.

Para as mães que me leem até aqui

Eu desejo que você tenha uma existência como mãe da maneira que seja possível pra você, dentro de uma Ordem maior e Divina.

Share This